Canvas ou BSC: qual a melhor ferramenta de planejamento estratégico?

Ter o conhecimento sobre o desempenho geral da organização faz toda a diferença para o processo de gestão empresarial. Por exemplo, se você é gestor da área de marketing, necessariamente deve estar por dentro dos resultados do departamento comercial para saber quais são suas necessidades de vendas, como está aceitação dos produtos/serviços pelo mercado e, assim, traçar novas estratégias de comunicação com o objetivo de potencializar os resultados.

 

Da mesma maneira, também é importante ter noção sobre a saúde financeira da empresa, principalmente na hora de planejar orçamentos. A integração com RH também é fundamental já que para contratar um novo profissional ou demitir alguém da equipe, o apoio da área de Capital Humano é essencial. Entender a organização da empresa como um todo é fundamental.

 

O planejamento estratégico de uma empresa deve ser desenvolvido pensando na sinergia entre as áreas. E para que isso ocorra é importante contar com o uso de ferramentas de gestão para apoiar a execução do plano proposto.

 

As metodologias mais eficientes e atuais para criar e avaliar esta sinergia empresarial são o MODELO DE NEGÓCIO e os MAPAS ESTRATÉGICOS.

 

Modelo de negócio

 

Modelo de negócio é como se define a dinâmica de como uma empresa se organiza internamente e junto a atores externos para gerar valor a seus clientes e ser reconhecida financeiramente por estes. É tão antigo quanto o primeiro empreendimento de negócio. O Business model canvas de Osterwalder e Pigneur é uma forma de aplicar técnicas de Design Thinking para focalizar no entendimento das necessidades dos clientes (atuais ou futuros) e estruturar os principais elementos que geram valor e são reconhecidos como tal por estes clientes, o que se denomina Proposta de Valor: quais necessidades dos clientes atendemos? Quais dos seus problemas resolvemos com nossos produtos e serviços? Como toda ferramenta de design thinking, seu ciclo de desenvolvimento envolve as etapas de Inspiração, Ideação e Implementação, de forma interativa e incremental, para reduzir os riscos de desenvolvimento de novas configuração de negócio ou de proposta de valor  através de desenvolvimento de conhecimento sistemático sobre as necessidades do cliente e sua incorporação em protótipos cada vez mais aderentes a estas necessidades. É uma abordagem baseada em solução de problemas para endereçar as necessidades dos clientes.

 

Compreende definir quais os segmentos de clientes desejamos atender, qual a proposta de valor para cada um destes segmentos, como a empresa se relaciona com os mesmos, como os recursos internos e de parceiros e atividades estão organizadas para construir e entregar esta proposta de valor, e a dinâmica de custo e receita que o sustenta. Pressupõe entender as necessidades do cliente antes de propor soluções. Também é um processo de inovação sistematizado que busca otimizar uma solução antes de dar passos maiores como investir em uma nova solução ou processo.

 

 

Algumas atitudes que contribuem para a aplicação do Design Thinking:

 

Empatia: Reconhecer que há múltiplas perspectivas de como ver o mundo (por exemplo, os diferentes usuários de um produto ou serviço e como e para que o utilizam, os funcionários que o executam ou o vendem e como isto é realizado) pode ser uma fonte de inspiração para a inovação, para imaginar necessidades latentes ou necessidades atuais não atendidas.

 

Otimismo: Acreditar que sempre é possível fazer algo de uma forma melhor do que se faz hoje.  E não temer experimentar novos caminhos na busca desta melhor solução.

 

Multidisciplinaridade: Trabalhar de forma colaborativa para incorporar as diferentes visões de mundo e competências de pessoas que estão participando do processo, pois em um mundo complexo é muito difícil que um único design thinker seja capaz de construir só uma solução inovadora, e é muito difícil incorporar a visão do outro diretamente, por conta dos diferentes valores, crenças, experiências individuais envolvidas. Esta é uma das razões de porque o processo de inovação é potencializado pelo emprego do canvas e design thinking: visões relevantes de atores externos ao processo decisório e que muitas vezes passam desapercebidas pelos gestores tem a oportunidade de ser incorporadas (funcionários de diferentes funções e hierarquias, clientes, funcionários e outros stakeholders).

 

Outra aplicação muito importante do modelo de negócio canvas é a de comunicação. Parte do desafio de implantação de uma boa estratégia é a comunicação da mesma através dos atores da empresa, como gestores e funcionários, seus parceiros de negócio e demais envolvidos. O canvas, sendo um modelo simples e visual potencializa a capacidade de comunicar como a empresa está estrtuurada para gerar valor a seus clientes, e ser remunerada por eles.  

 

O Business Model Canvas foi inicialmente proposto por Alexander Osterwalder[2] baseado no seu trabalho anterior sobre Business Model Ontology.

 

“Um Modelo de Negócios descreve a lógica de criação, entrega e captura de valor por parte de uma organização.”, Osterwalder.

 

Mapa Canvas

 

Picture1.png

 

Balanced ScoreCard – BSC

 

O BSC é uma metodologia de medição e gestão de desempenho desenvolvida pelos professores da Harvard Business School (HBS) Robert Kaplan e David Norton, em 199, que  permite a realização de uma gestão baseada em indicadores, em que o gestor consegue visualizar possíveis oportunidades e gaps internos. Essa ferramenta mapeia os processos de acordo com os objetivos da empresa e divide as metas sob quatro perspectivas: operacional e processos internos, financeira, clientes e, aprendizado e crescimento. É, sem dúvida, uma ferramenta de gestão  da empresa que auxilia no  planejamento e controle, com maior assertividade de suas metas estratégicas, com o objetivo de medir a evolução da organização por meio de indicadores

Uma das vantagens do BSC é que ele prioriza os projetos e os investimentos sempre com base no orçamento estratégico, evitando rupturas de caixa. Além disso, permite melhor alinhamento entre  as equipes, pois todos ficam por dentro do que está acontecendo na empresa e definição e atingimentento das metas propostas.

 

4 perspectivas BSC

 

Picture2.png

 

O Canvas e o BSC  são ferramentas excelentes  para o planejamento estratégico de uma empresa, auxiliando na definição e organização os processos, promovendo a sinergia entre as equipes.

BSC_ilustra.pngAvalie o momento do seu negócio e opte pelo modelo de gestão que mais se enquadra com a realidade da sua empresa.