10 Dicas para quem quer começar a entender mais sobre o mercado de investimento

Por Eduardo Becker, professor na Saint Paul e B3

Parabéns. Se você está lendo este artigo, saiba que já faz parte de uma pequena elite de pessoas que poupam parte dos seus rendimentos com a intenção de criar patrimônio e renda para o futuro. Felizmente este número vem aumentando nos últimos anos, mas o que se pode constatar no noticiário é que muita gente chega ao mundo dos investimentos sabendo muito pouco sobre como investir.

Por isso preparamos 10 dicas para você que quer começar a entender mais sobre investimentos.

Entenda a diferença entre renda fixa e renda variável

Na renda fixa, você já sabe o quanto irá ganhar no momento que investe, se levar seu investimento até o fim. Na renda variável não é possível prever. Por conta disso, os ganhos na renda variável podem ser maiores do que os da renda fixa, mas também poderão ser menores – por isso se chama renda variável.

Estabeleça objetivos de curto, médio e longo prazo

Ao longo da vida todos nós passamos por diversas fases com necessidades específicas para cada uma delas. É importante que você se planeje para isso. Afinal, você não quer chegar na terceira idade sem dinheiro para curtir a aposentadoria, divertir-se e cuidar da saúde.

Fique de olho na liquidez dos investimentos

Liquidez é a velocidade com que você consegue transformar um investimento em dinheiro líquido. Um título do tesouro direto tem, por exemplo, mais liquidez do que um imóvel.
De olho nas suas necessidades, quanto mais rápido você precisar do dinheiro, mais líquido deve ser seu investimento. A reserva de emergência, por exemplo, deve ser aplicada em investimentos de liquidez imediata como o Tesouro Selic ou até mesmo a velha Poupança. Um investimento para deixar de herança para os filhos pode ser feito em imóveis.

A segurança está na diversificação

Distribua seu dinheiro em diversas classes de ativos, tanto em renda fixa quanto variável. Na renda fixa, você pode ter vários títulos pré-fixados e pós-fixados entre tesouro, CDBs, Debêntures, CRIs, CRAs e assim por diante. Na renda variável, procure distribuir seu dinheiro entre ações de boas empresas em setores distintos ou em Fundos Imobiliários multi-ativos e multi-região.

Se for investir em Ações, escolha boas empresas

Uma boa empresa é aquela que já está no mercado há muitos anos e que tem demonstrado consistência nos lucros, crescimento, dívida equilibrada, pagamento de proventos e boa gestão. Há empresas que tem muito ainda para crescer (essas geralmente não são campeãs de dividendos, mas podem se valorizar) e empresas que já atingiram a maturidade e podem ser boas pagadoras de dividendos. Faça uma carteira diversificada entre essas ações para garantir crescimento e renda no futuro.

Fundos Imobiliários proporcionam uma renda mais estável

Embora a Lei determine que os fundos de Investimento Imobiliário paguem dividendos semestralmente, na prática a maioria deles paga esses proventos todos os meses. Isto é uma ótima alternativa para se construir uma carteira previdenciária, seja para seu sustento, seja para se obter uma renda extra perene no futuro.

Além disso, esses fundos são mais estáveis que as ações, o que aumenta a sensação de segurança do investidor.

Reinvista

Este talvez seja o maior segredo de todo investidor. Tanto a renda fixa quanto a renda variável fazem seu dinheiro crescer. Há títulos como o Tesouro IPCA que pagam juros semestrais aos investidores. Se você usar esses rendimentos para comprar mais ativos de renda fixa e variável ou, como eu costumo chamar, geradores de renda, você aumentará a velocidade com que o seu patrimônio cresce. E quanto mais ativos você tiver, maior será a sua renda.

Paciência e disciplina são a chave

Convenhamos, a única forma de ficar rico em pouco tempo é ganhando um prêmio ou uma boa herança. Para os demais mortais, apenas o trabalho diligente e o investimento constante farão com que o seu patrimônio cresça. Você precisará ter bastante disciplina para não desistir no meio do caminho (acredite, o mundo apresenta formas tentadoras para a gente gastar dinheiro sem necessidade) e seguir fazendo os aportes em sua carteira de investimento.

E sim, demora. Vários anos serão necessários até a sua carteira representar um investimento significativo a ponto de dar tranquilidade a você e sua família.

Acompanhe seus investimentos

Muitas pessoas escolhem os ativos nos quais investir, fazem os aportes mensais, mas basicamente se esquecem de olhar de vez em quando seus ativos para verificar se ainda mantêm as premissas iniciais. Principalmente na renda variável, pode acontecer de empresas deixarem de ser boas (lembra da Kodak? Da Brinquedos Estrela?) por uma mera questão de evolução do mercado. Pode ser que um determinado imóvel esteja no meio de uma transformação urbana que o desvalorize e assim por diante.

Por isso, é importante acompanhar os ativos de sua carteira pelo menos uma vez por ano para verificar se ainda vale manter seu dinheiro neles.

Compre ativos, mas não esqueça de curtir a vida

A vida não se resume em trabalhar e poupar. Dedique parte do fruto do seu trabalho a momentos de lazer e diversão. Afinal, a vida é para ser vivida e o investimento é apenas um modo de garantir que no futuro possamos curti-la com qualidade e segurança.

Gosta do tema e deseja se aprofundar?

A Saint Paul, em parceria com a B3, oferece cursos de Educação Executiva que trazem em seus conteúdos sempre o que há de mais novo e relevante no mercado, buscando abranger temas para as diferentes necessidades e jornadas de carreira dos profissionais.

Visite a página de nossos cursos de Educação Executiva B3 para se informar sobre os temas e próximas turmas. Você pode concluir a compra do seu curso pelo nosso site.